Número total de visualizações de página

segunda-feira, 30 de julho de 2012

O POETA TROVADOR DE DEUS


PADRE BENJAMIM SALGADO, 1916 – 1978

«O POETA TROVADOR DE DEUS» - Música Sacra e Música Profana

O Padre Benjamim Salgado, nasceu em Joane a 8 de Maio de 1916.
Os primeiros anos da sua vida foram passados com os pais, em Joane, onde frequentou a escola primária local desde 1923 até 1927. É em Joane que, ainda criança, inicia a sua relação com a cultura e a arte, manifestando capacidades inatas para a música e teatro.
Concluída a primeira etapa da sua formação académica ingressa em 1927 no Seminário de Braga. Frequentou o curso de Humanidades, Filosofia e Teologia. Estudou ainda Oratória, na área da música, Harmonia/Composição Musical e em 1938 é ordenado sacerdote.
Dotado de grande humildade e simplicidade, desenvolve um importante conjunto de actividades, que fazem dele uma personalidade querida por todos os que com ele contactaram. Por todo o Minho e não só - nas décadas de 40, 50 e 60 – foi com toda a certeza o maior pregador popular, sempre solicitado para as grandes Festas e Romarias. Ficou célebre a Missa Mariana, intensamente popular, que foi composta expressamente para a inauguração do famoso Santuário do Sameiro, construído em comemoração da Paz do Mundo, logo a seguir à 2.ª Guerra Mundial, e durante as quais cerimónias foi convidado para ser o orador de mérito.
Após ser ordenado sacerdote, desenvolve uma série de actividades entre as quais ligadas à cultura. Compositor e regente de coros, é uma das mais plurifacetadas personalidades bracarenses. Foi, além de pároco e compositor para a liturgia, professor de Canto Gregoriano, História da Música, Piano e Harmónio, no Seminário Conciliar de Braga, director do jornal "Correio do Minho", fundador e director artístico de coros, director geral da Fundação Cupertino de Miranda, director da Casa de Camilo.
Em 1957, assumiu a direcção do Orfeão Famalicense que, com as solicitações dos Encontros de Coros, o levou a dedicar-se às músicas corais sacra e profana. Foi membro da Comissão Bracarense de Música Sacra e colaborou na NRMS, na adesão às mudanças litúrgicas trazidas pelo Concílio Vaticano II.
Em 2 de Janeiro de 1960, torna-se Vereador da Cultura, Viação e Trânsito e mais tarde, assume o lugar de Presidente da Câmara. Entre o leque de actividades que levou a cabo, destaca-se o empenho na renovação da Biblioteca, tendo sido seu director entre 1961 e 1971.
Faleceu a 28 de Janeiro de 1978

Currículo de Actividades e Campo de acção

Pároco de S. Paio de Antas (Esposende) e de Requião (Famalicão)
Professor de Português no Seminário de Nª Sª da Conceição.
Professor no Colégio de Riba d'Ave
Professor de Música no Seminário Conciliar
Membro da Comissão Arquidiocesana de Música Sacra
Fundador e Director do Coro do Centro de Arte e Cultura Popular de Bairro
Fundador e Director do Grupo Coral de Oliveira S. Mateus
Fundador e Director do Orfeão das Fábricas Riopele
Director Artístico do Orfeão Famalicense
Assistente Regional de Braga do Corpo Nacional de Escutas - Escutismo Católico Português
Director do Jornal "O Correio do Minho"
Director Cultural da Fundação Cupertino de Miranda
Director Cultural da Casa de Camilo e do Boletim Cultural
Presidente da Assembleia Geral do Grupo Desportivo de Joane
Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão

Publicações

A Igreja do Divino Salvador de Joane, Apontamentos Para a Sua História
Ed. Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão,1978
Camilo em Datas, Factos e Comentários
Ed. Fundação Cupertino de Miranda, 1972
Milhares de Partituras musicais, em diversas Antologias, quer Sacras como laicais, nomeadamente líricas, com letras pessoais e ou de escritores célebres portugueses.
Destacam-se as suas obras musicais:
Composições Líricas, para piano e Canto-Solo
Rosas e Lírios de Maio
Ave-Maria, com coro e orquestra
Cânticos ao Menino Jesus
Ecce Panis, para canto e orquestra
Glória ao Senhor
Libera me, para vozes e orquestra
Louvores á Mãe de Deus
Missa, para vozes e orquestra
Missa Mariana, para a juventude
Missa de São Pio X
Missa da Requiem, a vozes e orquestra
Te Deum, para vozes e Orquestra

Opinião de quem o conheceu bem:

«O Pe. Benjamim foi uma personalidade encantadora: inteligência brilhante, sensibilidade genuína de artista, vontade forte e sempre ao serviço dos outros. Foi um escritor distinto e jornalista corajoso; compositor musical de suave inspiração e sublime lirismo; foi um professor de alta competência e um orador sagrado da mais elevada estirpe; foi pároco zeloso e, conforme a Escritura, um homem bom, sacerdote humilde e um apóstolo dedicadíssimo a Cristo. No rosto e nos lábios floria-lhe sempre a alegria cristã que comunicava felicidade a todos. Ficará para sempre, lembrado por quantos o conheceram, por quantos o admiraram, por quantos o estremeceram».
- Dr. Rocha Martins, S J.

                    Recolha de Assis Machado, afilhado de baptismo do laureado.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

OLIMPISMO 2012


«Citius, Altius, Fortius»

                                                                       Homenagem aos
Atletas olímpicos

“Ir mais longe, chegar mais alto, ser mais forte”                
É esta a humana ética do Olimpismo,
Na qual o atleta anseia algum protagonismo
Conquistando seus louros, a fama e a Sorte.

Durante meses corre, sobe e alcança mais,
Num incessante rodopiar de concorrência,
Não vira o rosto, luta com toda a insistência
Negando desistir perante os seus rivais.

Como é sublime tudo aquilo qu’ acontece
Naquela hora em que faz jus ao galardão
Pensando estar no Olimpo a sua redenção…

Em cada prélio toda a alma se envaidece
No prazer da conquista qu’ engrandece a vida
Escrevendo uma história agora enriquecida!


Frassino Machado
In RODA VIVA

N. B. Ver os Sites do autor:

terça-feira, 24 de julho de 2012

O ILUSTRE PROFESSOR


(J. Hermano Saraiva, 1919 - 2012)

Em homenagem a
José Hermano Saraiva

Com os olhos pregados na Tê Vê
Imenso auditório te admirava
E por entre as histórias qu´ escutava
Uma terna memória se antevê.

Tua mímica e gestos surpreendiam
Em certos pormenores ou porquês
E por entre emoções de lés-a-lés
Tuas palavras se repercutiam.

Na história e tradição tu foste mestre
P´la mente cultural dos ancestrais
Tornando-nos a alma pura e crente…

Sendo p´ra nós o Professor ilustre
                            Com as tuas lições bem magistrais
Deste um maior sentido à lusa gente!


Frassino Machado
In JANELAS DA ALMA

https://facebook.com/pages/tertulia-poetica-ao-encontro-de-bocage/129017903900018

terça-feira, 10 de julho de 2012

HAICAIS À MARTA



Haicai 01

Donzela dotada
Não deixes acorrentar
Teu sonhar na madrugada

Haicai 02

Se queres libertar
Teu corpo das algemas
Fá-lo e não temas

Haicai 03

Para o amanhã florir
Há que caminhar
Amar e sorrir

Haicai 04
                                              
                                               Entra o sol pela janela
Banindo o que é tristonho
Em todo o sonho

Haicai 05

No Éden cresce a macieira
Um fruto para colher
Pela mulher!

*

Frassino Machado
In HAICAIS & POETRIX


Páginas do autor:

sexta-feira, 6 de julho de 2012

NASCIDA PARA VENCER


Dulce Félix - Campeã Europeia de 10000 m

Medalha de Ouro de Portugal

Com fibra de Campeã
Esta minhota mulher
Quer hoje, quer amanhã,
Tem tudo para vencer.

Tal como estrela a brilhar,
Melhor que Dulce não há,
Faz léguas sempre a somar
Com fibra de Campeã.

Dar às pernas é seu lema,
Nascida para vencer,
Tem vontade sem algema
Esta minhota mulher.

Lutou muito pela vida
Como qualquer cidadã
Na fama já tem guarida
Quer hoje, quer amanhã.

Dulce é a glória do Minho,
Asas no céu a bater,
Com mais este pergaminho
Tem tudo para vencer.

Como atleta de eleição,
Produto de Portugal,
Tem povo no coração
E bandeira credencial.

És filha desta Nação,
És chama que nos impeles,
Teu sorriso é galardão
E teu nome é Dulce Félix!

Frassino Machado
In RODA VIVA

N. B. Ver também os Sites do autor:

terça-feira, 3 de julho de 2012

DULCE FÉLIX - AVÉ CAMPEÃ !



DULCE CONQUISTA OURO NO EUROPEU 2012 - HELSÍNQUIA

"Estou muito feliz, é maravilhoso. A volta à pista com a bandeira nacional foi uma enorme emoção", foi desta forma que Dulce Félix reagiu à conquista da medalha de ouro nos 10 000 metros dos Campeonatos da Europa de atletismo, que terminaram há dias em Helsínquia, capital da Finlândia. 
A atleta minhota, de vinte e nove anos, isolou-se a sete voltas do final, garantindo uma importante vantagem sobre as mais directas adversárias. "Sabia que tinha de arriscar mais cedo do que elas, pois estou a treinar para a maratona dos Jogos Olímpicos e não tenho a mesma velocidade. Decidi tentar a sorte por volta dos 7 ou 8 km e obriguei as adversárias a descolar. Correu tudo bem, elas não resistiram, melhor para mim", explicou a campeã, que terminou a dupla légua em 31.44,75 minutos, muito perto do seu record pessoal, superiorizando-se à britânica Jo Pavey (31.49,03), prata, e à ucraniana Olha Skrypak (31.51,32), bronze.
"Esta era a medalha que faltava. Sabia que havia várias atletas a valer 31 minutos e tal, e que poderia lutar com elas por um lugar no pódio, mas daí a ganhar...", prosseguiu a atleta, que já tinha conquistado a prata e o bronze nos Europeus de crosse.
Na hora do sucesso, a atleta de Gandarela partilhou o ouro com a sua treinadora Sameiro Araújo: "É um prémio de muito trabalho, de acreditar na minha treinadora. Dedico-lhe também esta vitória e bem assim a todo o povo português". Sameiro, técnica bracarense de atletismo, desde há muitos anos, tem-se distinguido como orientadora de sucesso de muitas outras campeãs e, obviamente merece bem esta homenagem.
Ana Dulce Ferreira Félix nasceu no dia 20 de Outubro de 1982 em Gandarela, uma aldeia a 7 km de Guimarães. Trabalhou numa empresa têxtil durante oito anos. Começou a correr por volta dos dez anos no A.C.R. Conde, mas foi no F.C. Vizela que se notabilizou até ingressar no Maratona Clube de Portugal, de Lisboa. 
Ana Dulce Félix, predestinada para o Desporto de Alto Rendimento, é mais uma daquelas insignes atletas portuguesas de antes quebrar que torcer. Ela surge na peugada de outras famosas fundistas de entre Douro e Minho, tais como: Albertina Dias, Aurora Cunha, Conceição Ferreira, Fernanda Ribeiro, Jéssica Augusto, Manuela Machado, Rosa Mota e Sara Moreira. Todas estas atletas foram ou ainda são galardoadas internacionalmente com medalhas de alto nível, quer em Campeonatos Europeus, Campeonatos Mundiais, Europeus e Mundiais de Crosse e, acima de tudo, têm-se destacado com prestígio nos nobilíssimos Jogos Olímpicos.
Esta nossa campeã europeia vai continuar, estamos convictos, a preparar-se com afinco e persistência para os Jogos Olímpicos de Londres, já neste Verão.
Amiga Dulce, aqui deixamos os mais sinceros votos de que tenhas a maior sorte e o melhor desempenho possível nesta destacadíssima campanha desportiva. Será óptimo para ti, para o povo português e, mais que tudo, para honra e glória da tua Cidade Guimarães – Capital Europeia da Cultura 2012.

Prof. Assis Machado, ex-técnico de Atletismo do
          S. L. e Benfica, cidadão vimaranense.